A fé e os crimes contra as mulheres

Um homem natural do Azerbaijão, suspeito de ter mandado assassinar a sua filha só porque ela usava mini-saias, foi detido ontem em São Petersburgo, no ocidente da Rússia.

A polícia acrescentou que antes já tinham sido presos dois homens que foram cúmplices no homicídio da estudante de medicina de 21 anos, no passado dia 8 de Abril.

Comentários

Julio Carrancho disse…
Explico e combato esse horrendo conceito Islâmico no meu livro em Inglês “Islam From Outside” à venda na lulu.com.
e-pá! disse…
O crime do Azerbaijão fez-me lembrar recentes regulamentações nacionais, não tão inocentes, nem tão inócuas como, à primeira vista, se pretende...

As "regulamentações" (?) vindas a público sobre a indumentária dos funcionários e funcionárias que trabalham na loja do cidadão de Faro (?), fazem lembrar os maquiavélicos condicionamentos impostos pelos senhores reitores de muitosa "Liceus" deste País, principalmente, às suas pupilas... onde se exorcizava a brilhante (para náo rapazes)criação de Mary Quant...

A evocação de "direitos de personalidade" quanto à indumentária, é o esticar da corda, numa situação onde devem coexistir a liberdade, a postura discreta e elegante, o bom senso e a adequação ao espaço e funções.
Muito, do que ultrapassa isso, será o "direito à exibição"...que, não me incomodando, particularmente, na maioria das vezes o ache falho de estilo.
Mas não vamos regulamentar tudo (um outra modalidade de fundamentalismo) e pôr a ASAE a vigiar e a levantar autos.

Entretanto, para o pessoal das FFAA's que, em serviço, usam uniforme, sairam normas de "atavio pessoal", com tantas especificações e rodriguinhos (algumas delas ridículas) que mais parecem o pródigo regresso às posturas e normas disciplinares do conde de Lippe...
Entretanto os militares portugueses estão no Golfo, junto às costas da Somália, a combater actos de pirataria, sem que o Ministério da Defesa tenha tido tempo de lhes conferir o estatuto de missão de risco...
Além da indumentária e dos preceitos sobre o atavio pessoal, o Ministro ( de sua graça também Nuno) deve estar também ocupado com a embaixada lusa à santificação do beato Nuno que, em tempos, foi condestável dos exércitos.

Portanto, em Portugal, felizmente, não há violência sobre o uso das mini-saias, mas os burocratas não conseguiram resistir à tentação de regulamentar e, certamente, punir. De modo diferente do Azerbaijão, mas em nome do "pudor", do "decoro" e da "decência" , penso eu.

O que será "isso" ou "isto"?

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido