A canonização de Nuno Álvares

Já se notam os primeiros sinais de pudor. Nem os reis católicos que sobram na Europa, habituados há gerações a ajoelharem-se perante o Papa e a obrigarem os súbditos a viver de rastos, se prestam já a serem figurantes no espectáculo das canonizações em série.

O Presidente da República compreendeu finalmente que as funções que ocupa num país laico são incompatíveis com a exibição pública das suas devoções particulares e vai mandar o chefe da Casa Militar a representá-lo.

O presidente da Assembleia da República far-se-á substituir pelo deputado Guilherme Silva.

Só falta que o CEMGFA delegue também num cabo de cavalaria a representação nas cerimónias religiosas no Vaticano.

Continua a não ser aceitável a presença, em nome do Estado, numa cerimónia religiosa, mas é menor a vergonha.

Comentários

e-pá! disse…
As evitáveis "desconsiderações"...A D. Guilhermina, integra, ou não, o séquito?
Segundo depreendo, depois do "milagre", poderia observar tudo ao pormenor e relatar o espelendor das cerimónias perante o director da Fundação Histórico-Cultural Oureana!
Julio Carrancho disse…
Assim que o Nuno for promovido a santo, queremos saber onde vai ser feita a imagem do mesmo, quanto custa a escultura, o verniz [de melhor qualidade, para brilhar à distância], a espada, o pedestal e a vassoura para o limpar todas as semanas. Depois, querem naturalmente saber os beatos onde o papa o vai colocar, para poderem ir lá em procissão duas vezes por ano dar-lhe uns beijos no capote.
André Pereira disse…
Penso que o Estado pode estar reprsentado por figuras de menor porte, como finalmente parece que vai acontecer: sempre o Espírito Santo vai iluminando os nossos políticos.
Penos que Portugal pode estar presente, porque mantém relações cordatas e de amizade com o Vaticano; é um assunto de interesse público e que parece relevante nas hierarquias do Vaticano, pelo que deve haver essa consideração por uma religião importante para alguns dos nossos compatriotas.
Penso que se vai chegar a um equilíbrio, a uma conciliação que dignifique o país e que não humilhe o Vaticano. Devemos tratar os nossos amigos e mesmo os que não gostam de nós com respeito e consideração, como bem ensinou Jesus Cristo.
Julio Carrancho disse…
Bem, Jesus ensinou algumas contradições aberrantes, como este horror:
Lucas 14:26 – Jesus ensinando: “... e se não ODIAR pai, mãe, mulher, filhos, irmãos e irmãs ... não pode ser meu discípulo.”
1 João 3:15 – 60 anos mais tarde, João ensinando: “Todo aquele que ODEIA a seu irmão é homicida.”
“ODIAR”: “miseo”, no original grego! Em ambos os versículos!
Os altos representantes do Estado Português ouviram o indignado protesto da Associação Ateísta Portuguesa. Ainda bem.
Se o CEMGFA delegar a sua representação num cabo de cavalaria, que não se esqueça de também enviar um cavalo bem aparelhado.
André Pereira disse…
O Espírito Santo tem meios insondáveis de fazer sentir a sua voz. Terá usado a AAP para salvar a face da nossa República?
Talvez. Todos sabemos que Deus escreve direito por linhas tortas, embora com alguns erros ortográficos, como o que ocorreu na escrita do apelido Alvarez.
André Pereira disse…
Essa do Alvarez foi apenas mais um pormenor pérfido e jocoso para com a nossa Pátria vindo do mais pequenino Estado do mundo....
Talvez devêssemos mandar o tal cavalo com um bom aparelho ou o elefante que o nosso querido Saramago descreveu a caminho de Viena de Áustria...

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido