Associação 25 de Abril



COMUNICADO

O Presidente da República mandou publicar no Diário da República a promoção a major general do coronel Jaime Neves.

Consumou-se, assim, um processo que teve origem na iniciativa de alguns militares reformados junto do próprio Presidente da República e foi apresentada publicamente como iniciativa do Estado-Maior do Exército.

Pelo caminho ficou também a aprovação em Conselho de Chefes de Estado-Maior, desculpa utilizada pelo ministro da Defesa Nacional para tentar justificar a sua aprovação de um acto que, em nossa opinião, indignifica as Forças Armadas e constitui uma ofensa aos militares de Abril e ao Portugal democrático resultantes da Revolução dos Cravos.

Não tanto pela importância do promovido, mas sim pela natureza do acto político perpetrado.

Aliás, estranhamente, até ao momento desconhecem-se os fundamentos que levaram à consumação deste acto.

Ao comemorarem o 35.º aniversário com um acto desta natureza, os detentores do poder, sejam os membros dos órgãos de soberania, sejam os chefes militares, não se mostraram dignos dos cargos que ocupam no Portugal de Abril.

É certo que o Presidente da República tinha apelado a que se encontrassem novas formas de comemorar Abril, mais apelativas à participação da juventude.

Não nos parece, contudo, que esta acção possa responder a esse desiderato, apesar da responsabilidade do supremo magistrado da Nação!

Não é com atitudes provocatórias, divisionistas, perturbadoras da paz e da estabilidade recuperadas entre os militares que se envolveram no processo revolucionário do 25 de Abril, independentemente das diversas posições então assumidas, que se comemora Abril.

Poderá querer-se comemorar outra coisa qualquer, poderá querer-se refundir o acto libertador e reescrever a História, mas não se estará a comemorar Abril, no sentido de acto fundador da Liberdade, da Democracia, da Paz, da Justiça Social, da Solidariedade!

Consciente de representar a generalidade dos militares de Abril, certa de que a grande maioria dos mesmos comunga com as afirmações atrás referidas, a Associação 25 de Abril analisou a sua participação ou não, nas tradicionais cerimónias organizadas pela Assembleia da República, para comemorar o 35.º aniversário do 25 de Abril.

Apesar de a sessão comemorativa ser presidida pelo Presidente da República, responsável maior pela decisão que contestamos e reprovamos, e de nela participarem os responsáveis governamentais e os chefes militares que aceitaram dar cobertura a um acto de natureza política, a Direcção da Associação 25 de Abril decidiu aceitar o convite feito pelo presidente da Assembleia da República, também ele um militar de Abril, pelo que comparecerá à sessão solene do próximo dia 25 de Abril.

Queremos, com este acto, reafirmar as nossas convicções democráticas, homenageando com a nossa presença o Órgão e os representantes máximos da Democracia em Portugal, objectivo primeiro dos que há 35 anos tudo arriscaram, ao derrubar a ditadura e abrir as portas à Liberdade!

Viva o 25 de Abril
Viva Portugal!

Lisboa, 20 de Abril de 2009

Pela Direcção

Vasco Correia Lourenço

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

Efeméride – 30 de outubro de 1975