EUA. Cinco anos após o 11 de Setembro.



«O nosso primeiro inimigo não é Bin Laden nem Al Zarqawi, mas o Corão, o livro que os intoxicou». (Oriana Fallaci, jornalista italiana).

Há cinco anos não foi agredida apenas a América, a civilização foi posta à prova. O ódio religioso é a lepra que alastra e corrói a base dos sistemas democráticos e põe em risco a civilização.

Comentários

jagudi disse…
A frase da dona Oriana parece-me que só pode ser vista como exemplo retirado do livro das barbaridades perigosas.
E o comentário posterior uma subtil rejeição de tão ilustrado pensamento. Mas é tão subtil que nem parece visível. Será assim? A frontalidade de CE habituou-nos a outra clareza.
e-pá! disse…
Muitas vezes interrogo-me sobre as ocultas razões que, assiduamente, nos "empurram" no sentido de adoptarmos ("encaixarmos") a ideia de que, o terrorismo, começou há 5 anos...
Carlos Esperança disse…
jagudi:

Tem razão na denúncia do racismo em que Oriana Falacci caiu. Mas, para desilusão sua, partilho o asco que ela sente pelo «Corão».

Ao ler o Corão senti que percorria prosa ignóbil. E já tinha lido o Génesis e outras manifestações de divina intolerância.

Respeito os crentes e considero a liberdade religiosa inerente à democracia, mas não respeito as crenças que dão origem a cruzadas, que invadem o Iraque, assassinam crianças ou fazem massacres em campos de refugiados.

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

Efeméride – 30 de outubro de 1975