Câmara da Figueira da Foz

Aposentou-se hoje o presidente, António Baptista Duarte Silva, com a pensão mensal de 3865,70 €.

Se continuar em funções, verá o seu vencimento autárquico aumentado de quase 1.300 euros mensais e apenas porque o Eng.º Sócrates proibiu a acumulação superior a um terço da pensão de aposentação.

Observações:

1 – Não está em causa o homem, com um perfil de indiscutível honestidade;

2 – Embora atenuada pela legislação deste Governo, parece-me uma injustiça que alguém possa somar duas remunerações no exercício das mesmas funções;

3 – Os ataques ao Governo no que diz respeito à redução possível de benefícios injustos são absolutamente insustentáveis.

Comentários

Anónimo disse…
PORTO,2006.09.01

A CULPA É DA LEI

Viva.
Não conheço o senhor Duarte Silva mas parece-me ser o Presidente da Câmara da Figueira da Foz.. Pelo que se vê o senhor apresenta-se ao serviço com a reforma mensal já assegurada de 3 865.70 €, quase 780 contos. Se não teve azares enquanto trabalhou este senhor deve ter dinheiro no banco. Com esta reforma mais o tal terço da lei, igual a1300 € isto vai dar 5 165.70 € ou mil e tal contos por mês, valores ilíquidos.
Eu acho igualmente injusto que isto aconteça e oferece-me as seguintes considerações: :

– Se o senhor está aposentado com este valor de reforma e provavelmente tem dinheiro no banco, está a tirar o lugar a um desempregado que precisa de trabalhar e aqui parece-me cair por base o tal perfil de indiscutível honestidade de que fala o texto. E se porventura o senhor é um cavalheiro idóneo não se devia apresentar ao serviço porque a partir desse momento pode entrar no campo dos telhados de vidro. É porque a somar a isto tudo estes políticos ainda têm direito, parece-me, a receber na hora da saída, mesmo estando já reformados, um subsídio de reinserção na vida activa que não é tão pequeno como isso.

-Todavia manda a verdade que se diga que o senhor Duarte Silva não é culpado disto. A culpa é da lei que permite tal situação.


JS
Zé de Buarcos disse…
Seria bem melhor que o autor deste post colocasse em equação o proble,a das reformas e dos reformados que continuam a trabalhar com vencimento e deixasse de focar um problema na fulanização de um qualquer presidente de câmara, deputado, ministro, etc. etc.
Assim dá a impressão que o queixinhas não passa de uma dor de corno.
Carlos Esperança disse…
Zé de Buarcos:

Vem hoje n'As Beiras a notícia que eu dei ontem.

O que está em causa não é a pessoa, é a lei.

Conheço um presidente da Câmara que se reformou pouco tempo antes das últimas eleições e, depois, voltou a concorrer e ganhar o lugar.

E esse ainda anda na casa dos cunquenta anos. É mais chocante.

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

A ânsia do poder e o oportunismo mórbido