Chile. A evocação de um crime


Faz hoje 33 anos, um obscuro general derrubou o Presidente eleito do Chile, Salvador Allende, e deu início a uma longa e sinistra ditadura que permanece como paradigma da crueldade, do arbítrio e da barbárie.

Solidário com os muitos milhares de desaparecidos, torturados, presos e assassinados, o «Ponte Europa» publica hoje, como há um ano, a foto do frio torcionário Augusto Pinochet.

Para que não se esqueçam os algozes.

Comentários

e-pá! disse…
Este provecto ditador (90 anos) tem escapado, sucessivamente, à justiça internacional e do seu País.
Neste momento, e mais uma vez, o Supremo Tribunal do Chile retirou-lhe a imunidade.
Trata-se de mais um processo. Este envolvendo 59 casos de tortura e raptos no centro clandestino de Villa Grimaldi.
As prisões clandestinas, tão em voga na era Bush, na altura da ditadura militar (1973-1990) já mereciam as "graças" de Augusto Pinochet.

Vamos aguardar e ver se este ditador, assassino, torturador e raptor, vai - ao menos uma vez - responder por alguns seus crimes.

A última vez que perdeu a imunidade - com que se muniu ao ser apeado do usurpado cargo de presidente do Chile - o caso dizia respeito a processos de evasão fiscal depois da descoberta de contas bancárias secretas no estrangeiro de um montante superior a 27 milhões de dólares.
Além de assassino, torturador, raptor é, também, "amigo" dos dinheiros públicos - corrupto ou ladrão (à escolha).

Se não fosse o carácter dramático e tenebroso das questões em que este ditador está envolvido, poderíamos dizer que ele seria um caso para o Guiness Book...
Quer dos crimes quer das fugas à Justiça.
Carlos Esperança disse…
e-pá:

Apesar de conhecer os excelentes dados que trouxe à colação, admiro a sua memória e/ou o seu arquivo e felicito-o.

Mensagens populares deste blogue

O último pio das aves que já não levantam voo

Cavaco Silva, paladino da liberdade

Efeméride – 30 de outubro de 1975