quinta-feira, abril 06, 2017

Guernica – 80.º aniversário de um crime de Franco e Hitler


O museu Rainha Sofia está a celebrar o aniversário do mural anti-belicista, de Picasso. Exibe uma mostra original de teses que analisam as motivações psicológicas o artista ao pintar a grandiosa tela a óleo, que evoca o bombardeamento sofrido pela cidade, em 26 de abril de 1937, e a exposição de mais 180 obras-primas do pintor.

Aviões nazis apoiaram o ditador Francisco Franco e arrasaram Guernica em um só dia. Picasso pintou este quadro e arrasou o nazismo para a eternidade. O enorme painel (350 por 776 cm) é uma gigantesca metáfora a óleo da guerra civil espanhola e um manifesto pacifista contra a brutalidade da guerra civil e a monstruosidade dos regimes nazis, de Franco e Hitler.
 
De 5 de abril a 4 de setembro há razões acrescidas para revisitar o museu Rainha Sofia e nos deslumbrarmos de novo com a tela que foi exposta em Espanha, pela primeira vez, no palácio do Bom Retiro, no jardim do mesmo nome, atrás do museu do Prado.

A cultura, a arte e a memória encontram-se na mais emblemática pintura do século XX e no génio do maior criador artístico das nossas vidas.

Uma nota de imprensa do museu revelou que será "uma grande exposição" que reunirá 150 obras-primas do artista, vindas da coleção do museu e de mais de 30 instituições de todo o mundo, como o Museu Picasso e o Centre Georges Pompidou, de Paris, o Tate Modern, de Londres, o Museu de Arte Moderna (MoMA) e o Metropolitan Museum, de Nova Iorque, entre outros.

Qualquer obra de Picasso merece uma deslocação, mas tão rico acervo, que percorre as décadas de vinte e trinta do século passado, merece a deslocação de qualquer ponto do país vizinho ao local que, até ao próximo dia 4 de setembro, se transforma no santuário da criatividade de Picasso.

Ponte Europa - Sorumbático